A problemática das gangues é refletida no mês de setembro em Sobral-CE



Há tempos a cidade de Sobral já não tem um ritmo de cidade interiorana. Dominada por gangues cada vez mais violentas, a cidade ganha relevo no cenário estadual e nacional com os homicídios bárbaros que fazem crescer exageradamente as estatísticas violentas. O ano de 2015 veio expor a fragilidade de políticas públicas e a pouca importância das governanças municipais e estaduais no quesito violência. 


Só no mês de setembro de 2015, foram registrados 9(nove) homicídios, 8(oito) tentativas de homicídio e 1(um) latrocínio na bela Princesa do Norte. Vale registrar que o mês ainda não findou, fazendo com que esses dados muito provavelmente cresçam. Quase que a totalidade dos indivíduos executados tinha envolvimento com gangues, as quais se degladiam com o intuito de ocupação de espaço e mercantilização de drogas ilícitas. A deficiência ou a total ausência de políticas públicas dos gestores municipais na área social refletem em regiões marginalizadas, as quais são verdadeiros refúgios para indivíduos infratores, que, aproveitando-se das brechas que o Estado concede, fazem fortalecer as gangues. 

Somente no bairro Sinhá Sabóia, no mês de setembro, foram registrados 3 (três) tentativas de homicídio, bem como 2 (dois) homicídios e 1 (um) latrocínio. Índices alarmantes para um bairro antes pacato registrar em um período de apenas 22 (vinte e dois) dias. A problemática com gangue é de extrema complexidade, mas, embora o trabalho da Polícia seja incansável, com a prisão dos chefes das organizações, pouco produz efeitos quando isoladas de ações das governanças. 

A maioria dos envolvidos são menores de idade, que são apreendidos em instituições frágeis, por isso os constantes resgates e fugas registrados nesses centros educacionais. Ainda, os maiores presos encontram facilidades de continuar comandando a gangue dos presídios da cidade. É comum presos postarem fotos em redes sociais do interior das casas de detenção, o que se supõe ser o uso de aparelho celular algo comum quando deviam cumprir sua pena em relativa separação ao meio social. 
Em recente pesquisa, o Instituto Datasus colocou Sobral entre as 100 cidades mais violentas do país, sendo a 5ª do Ceará em números absolutos e a 325º em números relativos. Foram 103 (cento e três) homicídios e uma taxa de 52,1 por cem mil, quase dobro da média nacional, nos dados consolidados referente a 2013

Em Boa Vista, Roraima, o Projeto Crescer, criado em 2001 pela Prefeitura Municipal, nasceu com a idéia de combater as gangues, popularmente conhecidas como "galeras". A metodologia é colocar todos os membros de gangues sob um mesmo teto para conviverem diariamente. Com oficinas profissionalizantes, incentivo ao esporte e a cultura, o programa atende atualmente 500 (quinhentos) jovens, que ganham uma bolsa remunerada e vale transporte para participarem do programa. Boa Vista, que ocupava a 9ª capital em homicídios de jovens em 2000, em 2012 já ocupava a 22ª posição, segundo o Mapa da Violência. 

A participação popular na criação de políticas públicas, o investimento em cultura, esporte e educação, aliado à presença do Estado em locais de vulnerabilidade social são passos importantes para, pelo menos, atenuar a sensação de insegurança que assola a sociedade sobralense, bem como dar uma esperança de um futuro melhor às futuras gerações. 

Por Filipe Freitas

(Sobral 24 horas)




O que achou do Post? Aproveite o espaço e comente

0 Comentário sobre: "A problemática das gangues é refletida no mês de setembro em Sobral-CE"

Postar um comentário

 

Total de visualizações de página

Cidades Acessando no Momento

Parceiros

© 2013 Varjota 24 Horas - Notícias Policial de Varjota e Região Todos os Direitos Reservados